Entre os medos mais comuns, sem dúvida, está o medo de altura. A acrofobia é uma fobia relativamente comum. Define-se pelo medo incontrolável em lugares altos, causando ansiedade e até ataques de pânico. Há graus diferentes, pois algumas pessoas não conseguem sequer usar elevadores panorâmicos.

A palavra acrofobia vem do grego. A junção de acron (altura) e phobos (medo) formam a definição de um temor que atinge milhares de pessoas. Há quem sofra com isso e sequer sabe do que se trata. Ou seja, há acometidos que não entendem o motivo de ficarem nervosos ao subir uma escada.

A condição aparece de formas diferentes e curiosas. Há pessoas que têm medo de altura, mas não têm problemas em viajar de avião, por exemplo. Por outro lado, tem gente que não consegue seque ficar perto de uma sacada no primeiro andar.

Medo de altura é um dos mais comuns


É fácil se explicar a origem da acrofobia em algumas pessoas, por outro lado, há casos mais misteriosos. Parte das fobias mais comuns, são resquícios evolutivos, por exemplo. Pessoas que têm medo de altura podem ter herdado isso, pois nossos antepassados que se arriscavam em locais altos podiam morrer.

Enfim, isso conclui que nós, humanos, costumamos ter medo do que pode nos matar. A tripofobia, por exemplo, que é menos comum, é o medo de buracos em padrões e furos. E os tripofóbicos temem isso, pois lembram inconscientemente de padrões nas peles de animais perigosos. Ou seja, é também uma defesa evolutiva.

Mas, há certas fobias que são totalmente novas, como a glossofobia, que é o medo de falar em público. Certamente, os homens das cavernas não tinham esse problema. A glossofobia é uma das fobias mais comuns hoje em dia, e o tratamento, muitas vezes, precisa ser feito com especialistas.