Todo mundo já se perguntou o que significa estar com a orelha quente ou vermelha em algum momento da vida. Os supersticiosos acreditam que, se a orelha esquerda estiver queimando, é sinal de que há alguém falando mal de si. No caso da direita, estão falando bem. Há ainda quem recomende que você morda a alça da blusa, no lado da orelha que está queimando, para "cortar o efeito".

Porém, superstições à parte, há explicações científicas muito mais lógicas para isso. Confira!

Superstição, não! Vasodilatação, sim!

Muita calma nessa hora! Se a sua orelha está vermelha, não significa necessariamente que você anda mal ou bem-falado por aí. Em geral, isso ocorre porque acontece uma dilatação dos vasos sanguíneos na região, o que acarreta o aumento da quantidade de sangue que passa por eles.

Como o sangue é vermelho e quente, suas características ficam mais aparentes na pele fina da região da orelha do que no restante do corpo. E não se engane: isso pode ocorrer tanto na orelha esquerda quanto na direita, independentemente de alguém estar ou não falando de você.

O processo de vasodilatação é desencadeado de maneira diferente em cada pessoa, já que está diretamente ligado ao sistema nervoso. Em geral, ele ganha força em momentos de estresse, pressão ou ansiedade.

Mas essa não é a única causa para sentirmos vermelhidão na orelha. Há outros motivos, mais raros, até mesmo relacionados a outras doenças.

Conheça a síndrome que faz as orelhas queimarem

Em 1994 foi registrada pela primeira vez, pelo neurologista australiano J.W. Lance, a chamada Síndrome da Orelha Vermelha (SOV). Trata-se de uma doença na qual uma ou ambas orelhas ficam vermelhas causando uma sensação de queimação. Ela costuma vir acompanhada de enxaqueca.

Pesquisadores da Universidade de Dalhousie, no Canadá, se aprofundaram na pesquisa e descobriram que a síndrome é uma condição rara caracterizada por vermelhidão e sensação de queimação no lóbulo da orelha, que pode durar de alguns segundos a várias horas. Ela tem causa na deficiência da enzima ALDH2 no organismo.

A SOV pode ocorrer de forma espontânea ou também resultar de uma variação de estímulos. Esses estímulos podem ser os mais variados possíveis. Desde toque, esforço excessivo, mudança de temperatura ou mesmo algum tipo de movimento que você realiza no pescoço. Ainda segundo os especialistas, a doença pode até ocorrer sem ter uma causa estrutural.

Quando necessário, o tratamento da Síndrome da Orelha Vermelha se dá através da utilização de um betabloqueador, uma droga utilizada para o tratamento de problemas cardíacos e pressão arterial elevada. Mas a doença também pode ser aplacada com repouso, compressa fria, dieta saudável e restrição alcoólica.